14 junho, 2018

Torres Vedras - Araraquara III

Depois da manhã passada no Assentamento da Bela Vista, era altura de regressar a cidade pelo mesmo caminho cheio de altos e baixos que mais parecia uma ida às Berlengas em dia de tempestade. Ainda bem que não almoçamos antes porque caso contrário, o interior do "ônibus" não teria ficado muito bem de saúde, assim como os seus ocupantes... 
À tarde rumámos ao teatro municipal de Araraquara que estava em processo de restauro e como tal, interditado. No entanto, o seu exterior Neo Brutalista tinha todos os motivos para serem desenhados, de todos os ângulos e mais algum. Dei aqui um mini workshop de como simplificar as formas deste complexo conjunto a fim do nosso cérebro não "fritar" enquanto tentamos organizar o encadeamento do nosso desenho. 

Depois foi tempo de rumar ao Espaço Arte para o primeiro Drink and Draw do Encontro. Um espaço que é um armazém transformado em escola de Música com um ambiente meio Noir- Vintage bem convidativo para o Drink, Talk and Eat... 
 
O final de tarde/noite culminou numa actuação musical que foi uma espécie de Jam session de música tradicional brasileira (da boa, não aquelas "pimbalhadas" de novela barata) num ambiente bem intimista liderado pela Kris Pires na Guitarra e Voz.
 
No dia seguinte começavam os workshops da semana e eu até tive uma 2ª feira bem descansada onde apenas dei uma palestra para os professores locais em conjunto com a minha colega Olga Neves. Um ambiente bem descontraído onde falámos sobre o ensino em Portugal e os problemas que temos ao lidar com os alunos. Diferentes da realidade/escala brasileiras mas ainda assim, todos se mostraram surpreendidos por não serem os únicos a pensar que só ali é que existem problemas e carências na educação. Da parte da tarde, juntámos um pequeno grupo e fomos para a Praça Pedro Toledo desenhar numa divertida sessão liderada pelo António Bártolo que fez uma demo de aguarela para todos nós. Por entre o arvoredo, fios e telhados, a Igreja Matriz eleva-se dominante à medida que o sol descia (bem cedo, as 18h já era noite!) 

A noite fomos para o auditório da UNIARA ( Universidade de Araraquara) onde iria dar início à XXI semana da Arquitectura e do Urbanismo liderada pela Prof. Dra. Sálua Kairuz coordenadora do curso de Arquitectura e Urbanismo (à direita com o microfone). A palestra inicial foi a do André Baptista que na condição de arquitecto da Câmara Municipal de Torres Vedras e coordenador do projecto de recuperação da Encosta de São Vicente, foi falar dos desafios de como levar a cabo um projecto desta envergadura e a importância do desenho à mão como ferramenta de análise e projecto de todo este processo. As imagens de Torres Vedras que iam passando nos slides acentuavam ainda mais as minhas saudades de casa, que estava bem longe há quase 5 dias... 

Sem comentários:

Enviar um comentário