02 abril, 2017

Siga...


Após o dilema familiar que descrevi de forma meio metafórica (aqui), o inevitável aconteceu e a minha família perdeu um dos seus elementos basilares e para sempre presente nas nossas vidas. O conceito de imortalidade de algumas pessoas que nos são especiais vai-se esfumando aos poucos à medida que crescemos. Os irmãos já não vão sorrir juntos como outrora e os jantares de família que irei continuar a desenhar contarão com menos um elemento.  A minha mãe é agora a resistente desta geração e a comandante da nossa casa de família que aos poucos vai retomando a rotina após este golpe duro e acima de tudo baixo, pois não devia ser permitido partir tão cedo... Continuemos a viver então, siga...

Sem comentários:

Enviar um comentário