22 abril, 2016

Adicionando pessoas


Quem nunca se queixou de uma pessoa ter-se levantado ou colocar-se à frente do que estamos a desenhar? Quem nunca ficou furioso com uma mudança radical de cena? Ora, eu conheço alguém que nunca se chateia com isso... eu! Porque encaro estas mudanças bruscas com naturalidade, sei perfeitamente que uma cidade exige movimento, dinâmica, frenesim. Como urbanista de formação, aprendi a amar esta dinâmica urbana de uma forma muito própria. A cidade não é uma árvore e de certeza que não é um museu... Aqui, durante um almoço com a malta do trabalho, estávamos 5 na mesa (eu incluído)  e à medida que iam chegando pessoas, eu achava piada e ia acrescentando. Temos de recorrer a várias técnicas sendo que a principal é encarar o desenho como uma experiência e não como um desenho hiper realista do renascimento; Depois temos de recorrer à sobreposição de desenhos; e por fim, não dar importância à posição REAL das pessoas, porque ninguém vai saber se a Joana estava ao lado do Zeca ou do Fábio, ela estava e pronto... 

Who never complaint about someone leaving or standing in front of what you're sketching? Or went completely mad about a dramatic change in the scene? Well, I know someone who never complaints about that... me! I take on these  harsh changes as a natural  process of a city which is changing all time. As an urban designer I grew up to love these urban dynamics in very personal way. A city is not a tree, and certainly not a museum... In this scene, during lunch with my colleagues, we were 5 (myself included) at the table at the beginning of this sketch, and the more people arrive, I had to sketch them as well.  We need to use several techniques to solve this being the main one, never to take a sketch as a realistic renaissance painting; Then we need to use overlapping lines; and finally, not take people's REAL position into account, because no one will know if Joana was nexto to Zeca or Fábio... She was there, period... 

2 comentários:

  1. "um desenho hiper realista do renascimento" ??????

    ahahahahahahah, não seja por isso
    um gajo até fica zonzo com tanta cooooooooltura

    ResponderEliminar
  2. Não fique zonzo... Acho que se compreende perfeitamente o que quis dizer. Ou acha mesmo que eu não sei distinguir estilos separados por 500 anos e uma carrada de técnicas? Mas se há coisa que tenho para além de Cultura, é cooooltura, ou não seria eu da Graça ;)

    ResponderEliminar